domingo, 2 de maio de 2010

Análise poética - 2.

Perguntas de um operário letrado




Quem construiu Tebas, a das sete portas?
Nos livros vem o nome dos reis,
Mas foram os reis que transportaram as pedras?
Babilónia, tantas vezes destruída,
Quem outras tantas a reconstruiu? Em que casas
Da Lima Dourada moravam seus obreiros?
No dia em que ficou pronta a Muralha da China para onde
Foram os seus pedreiros? A grande Roma
Está cheia de arcos de triunfo. Quem os ergueu? Sobre quem
Triunfaram os Césares? A tão cantada Bizâncio
Só tinha palácios
Para os seus habitantes? Até a legendária Atlântida
Na noite em que o mar a engoliu
Viu afogados gritar por seus escravos.


O jovem Alexandre conquistou as Índias
Sozinho?
César venceu os gauleses.
Nem sequer tinha um cozinheiro ao seu serviço?
Quando a sua armada se afundou Filipe de Espanha
Chorou. E ninguém mais?
Frederico II ganhou a guerra dos sete anos
Quem mais a ganhou?


Em cada página uma vitória.
Quem cozinhava os festins?
Em cada década um grande homem.
Quem pagava as despesas?


Tantas histórias
Quantas perguntas

Bertold  Brecht







PROPOSTA DE TRABALHO : 
Faz a análise do poema e publica-a nos comentários do blog.

25 comentários:

Biná disse...

Beatriz 8º4ª nº4

O que o poema quer transmitir , é que as pessoas as vezes desvalorizam as coisas que são as mais importantes , neste caso é que nestas épocas muitos trabalhadores esforçaram-se e gastaram a maior parte das suas energias e tempo ,é que os trabalhadores nem eram e foram relembrados , porque há pessoas que não dão o mínimo de valor da importância que estas hulmides pessoas têm ...

henrique disse...

o poema fala da história.faz perguntas quem é que construiu o que e quem é que ajudou.fala também das batalhas quem vençeu e quem perdeu.

henrique disse...

o poema fala dos grandes momentos da história, dos grandes homens e os grandes acontecimentos. Tambem pergunta quem é que está atrás de tudo isto e quem é a próxima cidade a ser engolida pelo mar.

Rodrigo Medeiros nº19 8º 4º

Biná disse...

Diogo Sousa nº 9 8º4ª

O poema quer transmitir ao pessoal que há pessoas tais como os reis e os descobridores relembrados actualmente que são lembrados como se fossem só eles a ganhar uma batalha, ou até mesmo ocupar territórios desconhecidos.
Na relidade foram os próprios soldados que conquistaram esses territórios , que descobriram novas terras e que ganharam batalhas , qual foi o nome do rei que ganhou as batalhas? E o nome dos que descobriram terras ? Sim sabemos isso mas não sabemos quais os nomes dos soldados que se sacrificaram pelo seu país ou reino os que ofereceram as suas vidas a uma espada!?

cellist disse...

O poeta tinha muitas perguntas e poucas respostas .
Como:
Nos livros vem o nome dos reis,
Mas foram os reis que transportaram as pedras?
Babilónia, tantas vezes destruída,
Quem outras tantas a reconstruiu?
Em cada história há sempre montes de perguntas

Celeste nº:6 8º4ª

Bruno Fernandes disse...

Bruno Fernandes nº5 8º4ª

O que o poeta quer dizer que muita gente ao longo da história da humanidade receberam louvores por uma coisa que não construíram sozinhos, isto e uma coisa comum a sociedade desde sempre, esquecem-se muitos lembram-se menos.Existe muita gente que trabalho muito e não recebem nenhuma coisa por isso e o poeta quer ver as pessoas os verdadeiros trabalhadores.

hugo Anjos disse...

Este poema foi o maior poema que o stôr pôs no blogue porque fala sobre os escravos e os guerreiros porque participavam nas guerras eles é que ganhavam não eram os reis eles é que se matavam a lutar com os outros para ganhar algo, os escravos se matavam para construir um lar e o que é que eles recebem nada,eram sempre discriminados eram tratados como lixo mas eles é que construiram as casas,as pirâmides tudo o que existe hoje em dia.É bom lembrar o que certas pessoas fizeram mas que nunca foram reconhecidas.

hugo Anjos disse...

Este poema fala sobre construções antigas, guerras e reis que só queriam dinheiro do povo.

hugo

Elsa disse...

O poema quer transmitir que dão mais valor às pessoas ricas e com poder na sociedade do que àquelas que se matam a trabalhar para puderem dar de comer à familia.
O poema é constituido por:
4 estrofes; tendo uma delas 14 versos, outra é uma oitava, a outra uma quadra e a última uma parelha.
Não tem rima.

Bruno Fati nº1 e Elsa Silva nº6
8º3ª

desporto escolar e mundial disse...

erickson gomes 8º3ª

este poema transmitar egoismo maldade e tristeza
nao dao importacia as pessoas.
ele faz perguntas de quem contruiu quem que ajudou e das guerras

catia disse...

Este poema tem perguntas a mais e respostas a menos. Fala de uma época passada que tem a ver muito com a nossa de hoje.Mas deviam dar mais importancia as pessoas, neste caso os escravos e aos trabalhadores. Este poema fala de reis e de uma época antiga. Esta obra quer alertar para o que acontecia aos trabalhadores aos uns tempos atrás.

Catarina Pereira Nº2
Cátia Oliveira Nº3
8º3ª

jeniffer Varela Lopes disse...

eu nao consegui entender muito este poema, mas deve ser por isso que é interessante.
DE: veiga

tiago disse...

O poema fala mesmo disso, de homens que trabalharam em vão, não receberam qualquer reconhecimento pelo que fizeram, talvez nem o quisessem também…
Já foi a tantos anos, a factos que se perdem no tempo.
Ficaram a historias, e as perguntas por ser respondidas.

Pedro Bento Nº 19 8º 3ª

jeniffer Varela Lopes disse...

O que o poeta quer dizer que muita gente ao longo da história da humanidade receberam louvores por uma coisa que não construíram sozinhos, isto e uma coisa comum a sociedade desde sempre, esquecem-se muitos lembram-se menos.Existe muita gente que trabalho muito e não recebem nenhuma coisa por isso e o poeta quer ver as pessoas os verdadeiros trabalhadores

tiago disse...

O texto do poeta fala é sobre o tempo antigo, em que os homens iam para a morte, em batalhas por territórios e no final outro senhor que não tinha feito quase nada, ficava reconhecido como o grande conquistador ficando com o seu nome para a historia.
E muitas mais questões que ficaram por ser respondidas.
Paulo Nº 18 8º 3ª

joao disse...

Tomás Fernandes e Nuno Almeida
nº22 8º3ª nº17

Este poema quer transmitir que algumas pessoas recebem riquezas por coisas que não construiram sozinhas.
E que existem verdadeiros trabalhadores e falsos trabalhadores, os verdadeiros sao aqueles que trabalham muito e recebem pouco e os falsos são aqueles que trabalham pouco e recebem muito.
Isto é a lei da vida uns nasceram para trabalhar e outros para viver as custas dos que trabalham.

Rodrigo disse...

O poema fala da história.
De conquistas e reconquistas.
De construtores e ajudantes.
De construções.
De quem venceu e quem perdeu batalhas.
De desaparecimento de uma grande civilização.
De Itália, Roma e até da China
Fala um pouco de toda a história.
Mas o que realmente quer transmitir é que existem coisas importantes que aconteceram no passado que agora não são lembradas.

Rodrigo Bernardo Nº20 8º3

joana disse...

Este poema transmite-nos que é importante os pequenos promenores como quem cozinha e quem construi.


Joana e filipe 8º3

hugo Anjos disse...

Este poema quis me dizer que antigamente nas construções antigas, guerras e reis que só queriam o dinheiro das pessoas.

Luis Jorge nº16

joao disse...

joão rocha nº13 e joão jorge nº14

o poema quer dizer que os reis, os descobridores são sempre relembrados e que têm os louvores todos mas as pessoas que fizeram todo o trabalho (os escravos, os marinheiros, os soldados) não se ouve nada deles e eles é que são os verdadeiros conquistadores, descobridores e construtores e eles e que deviam receber os louvores da sua conqista e da sua descoberta.

Diogo T. disse...

O poema fala-nos de uma historia do tempo dos Reis.As pessoas ricas ás vezes desvalorizam as outras(pobres,escravos).
E é isso nos quer mais alertar este poema.Antigamente os escravos trabalhavam muito e não ganhavam quase nada com isso, e hoje em dia
estamos praticamente iguais.(nem todos - rios)Lembrem-se que todas as pessoas são importantes.Pode não ser a jogar a bola mas sim a jogar andebol.Cada um tem o seu valor e cada um de nos tem de valoriza-lo.

Diogo Teixeira
Nº10 / (8º4ª)

Espaço7Língua Portuguesa disse...

O que o poema quer "dizer" e´que as pessoas por vezes nao notam qe tem coisas muito importantes e nao lhes dao valor coisas que são as mais importantes
Andre Cara d'Anjo
Nº4 8º1ª

Joana disse...

A mensagem deste poema é que muitas das pessoas ricas e importantes não dão o minímo de valosr às pessoas mais humildes que se esforçam diariamente para receber alguma remuneração.
Quem construiu os grandes monumentos históricos foram aqueles que sempre trabalharam toda a vida, sem receber o devido valor, enquanto quem fazia os projectos recebia todos os lucros e louros possíveis, tendo o seu nome gravado nas páginas históricas.

Joana Heitor & Mariana Paulos
8º1ª

Espaço7Língua Portuguesa disse...

Este poema está a querer dizer-nos que normalmente as pessoas só ligam aos reis por causa do seu poder , mas não ligam aquelas pessoas que perdem a vida para o bem estar deles.
Eles só sabem mandar nos outros , ao que eles acabam por obedecer se não podem ser "prejudicados".
Os reis não pensam nas pessoas que se sacrificam por eles , simplesmente querem que obedeçam as suas ordens, e mais nada!
Acima de tudo , no fim quem morre não são eles , são os soldados.

Cristiana Mendes , nº 6 , 8º 1ª

Espaço7Língua Portuguesa disse...

Este poema diz que houveram pessoas importantes no passado , tais como reis e descobridores , que ainda hoje são lembrados por terem vencido grandes batalhas ou descoberto novos lugares , mas ninguém se lembra das outras pessoas : os soldados que muitas das vezes deram a sua vida para conseguirem esses feitos .
Os reis e descobridores ficaram com todo o mérito das vitórias e descobertas , enquanto que os soldados foram esquecidos .

Ana Rita Valhelhas , 8º 1ª