sábado, 10 de janeiro de 2009

O CAVALEIRO DA DINAMARCA - Guião de leitura.




PROPOSTA DE TRABALHO :
Para compreender e interpretar melhor
, responde aos GUIÕES DE LEITURA.

Guião -1-CLICA AQUI !

Guião -2- CLICA AQUI !

4 comentários:

Bruno disse...

Resumo da obra “O Cavaleiro da Dinamarca”

A Dinamarca situa-se no Norte da Europa, onde os Invernos são muito longos e frios. Há muitos anos, havia um lugar na Dinamarca com uma grande floresta de pinheiros tílias, abetos e carvalhos. Nesse lugar vivia um Cavaleiro e a sua família. Viviam numa casa construída numa clareira, e em frente da casa estava o maior pinheiro da floresta.
Quando o Natal chegou o Cavaleiro juntou a família em sua casa, como todos os anos e depois da ceia disse que de ali a um ano não iria estar. Ia partir em peregrinação á Terra Santa, queria passar o próximo Natal na gruta onde nasceu Cristo.
Na Primavera, o Cavaleiro partiu para a Palestina, onde chegou muito antes do tempo previsto. Seguiu com os outros peregrinos até Jerusalém e visitou todos os lugares sagrados.
No dia de natal ao fim da tarde o Cavaleiro caminhou para a gruta de Belém. No final de Fevereiro deixou Jerusalém e foi até ao porto de Jafa e fez uma grande amizade com um mercador de Veneza.
Quando regressava para a Dinamarca foram assaltados por uma grande tempestade, e foram obrigados a parar em Ravena. O Cavaleiro ficou espantado com a beleza da cidade. Foi então que o mercador disse ao Cavaleiro que Veneza era ainda mais bela.
O cavaleiro com o mercador para Veneza. Ali tudo o impressionou, desde as ruas que eram canais onde deslizavam pequenos barcos aos maravilhosos palácios de mármore. Numa noite, depois da ceia o Cavaleiro reparou num belo palácio há frente da casa do mercador e perguntou-lhe quem morava ali, o mercador disse-lhe que naquele palácio já morou a mais bela rapariga de Veneza. Chamava-se Vanina.
Dali a um mês o Cavaleiro partiu rumo a Florença para conhecer a célebre cidade. Passou por Ferrara e Bolonha, era princípio de Maio e chegou a Florença. Quando chegou procurou a casa de um banqueiro Averardo, que o recebeu na sua casa. No final da tarde chegam os amigos do banqueiro para cear, o Cavaleiro ficou espantado porque naquela sala falava-se de tudo. Passado um mês o Cavaleiro partiu para o porto de Génova, para embarcar num navio para Flandres, cidade que o banqueiro lhe aconselhou visitar
Já era Inverno quando chegou a Flandres. Encontrou um negociante que era amigo do banqueiro, o negociante recebeu o Cavaleiro com grande amabilidade para ficar em sua casa.
O Cavaleiro achou a comida maravilhosa, que tinha temperos desconhecidos por ele. Três dias depois o Cavaleiro deixou Flandres para regressar a sua casa. No dia de Natal o Cavaleiro já estava a pouco quilómetros de sua casa. A neve não o deixa ver o caminho de regresso a casa. O Cavaleiro chegou a casa de uns lenhadores que o reconheceram de imediato e não queriam deixar seguir o caminho, pois ia cair um grande nevão e era perigoso. Mas mesmo assim ele seguiu o seu caminho até casa. Quando caminhava para casa, viu uma luz que lhe indicou o caminho. Essa luz era um pinheiro de Natal iluminado. E, foi seguindo essa luz que o Cavaleiro chegou até sua casa.
É por isso que na véspera da noite de Natal se iluminam os pinheiros.

Bruno Outeiro nº3, 7º5ª

Rita disse...

Rita Pedro Nº 20 7º9º

Cavaleiro da Dinamarca (resumo)

Era uma vez um Cavaleiro que há dezenas e centenas de anos normalmente reunia a família e amigos para festejar o Natal.
Na Véspera de Natal já tudo estava preparado e organizado. Na noite de Natal Comia-se a Seia e de seguida contavam se diversas historias. Certo dia (de Natal) anunciou que iria viajar para que no Natal seguinte fosse rezar onde Cristo nasceu e que iria voltar no próximo Natal (depois desse).
Na Primavera o Cavaleiro partiu em viagem e chegou á Palestina ainda antes do Natal e seguiu para Jerusalém. Quando lá chegou fez tudo pela parte religiosa e quando chegou o dia de Natal o Cavaleiro dirigiu-se para a gruta de Belém e rezou pelo mundo e pediu para chegar são e salvo no próximo Natal para a sua família. Em fins de Fevereiro dirigiu-se para o porto de Jafa onde fez um amigo e teve de esperar ate Março para a próxima embarcação e nessa mesma ouve uma tempestade em que o cavaleiro pensou que poderia morrer, mas , correu bem e chegaram a Itália. Esse mesmo amigo levou lhe ate Veneza e ficou deslumbrado e ouve festas e uma noite o cavaleiro reparou num castelo e o seu amigo (mercador) conto-lhe a lenda desse mesmo castelo. Ele e o mercador em Abril dirigiam-se para Génova mais propriamente na cidade de Florença. E Procurou a casa do Banqueiro Averardo , para o qual o seu amigo lhe tinha dado uma carta. O banqueiro muito alegre hospedou o Cavaleiro em sua casa. Ao fim da tarde um amigo do banqueiro chegou a sua casa para a Seia e enquanto comiam o amigo do banqueiro falava sobre muitas ciências e falou também de Giotto que era pintor e conto-lhe a sua historia tal como falou de Dante que viu para alem da morte esse mesmo homem convidou o Cavaleiro a ficar em Florença para aprender diversas ciências mas o próprio não aceitou porque queria ver a família. Saio de Florença para no principio do verão viajar para o porto de Génova que tem navios que sobem da Itália para Bruges, Gand e Antuérpia mas a meio do caminho o Cavaleiro adoeceu e foi bater a porta de um convento em que os frades tiveram muito trabalho em o salvar pois o Cavaleiro tinha o sangue envenenado. Quando ficou melhor dirigiu-se de novo para Génova e teve uma má noticia : Os últimos navios tinham partido em Setembro. O Cavaleiro ficou desesperado mas recuperou o ânimo e de cavalo continuou a sua viagem.
Quando chegou a Flandres já era Inverno e dirigiu-se para Antuérpia e procurou o negociante flamengo, para o qual o banqueiro Averardo lhe tinha dado uma carta o Negociante Flamengo contente ofereceu-lhe a sua casa para passar um tempo.
Ao jantar um capitão foi até a casa do Negociante Flamengo para lhe entregar pérolas, oiro e pimenta e á mesa contou histórias fantásticas do que lhe acontecera em viagens pelo mar e lendas.
No dia seguinte o Cavaleiro disse ao Negociante Flamengo que queria ir ate Dinamarca mas ele disse que em Novembro não havia transporte para a Dinamarca.
O Cavaleiro Recordou todas as maravilhas que tinha feito visto e ouvido naquela viagem mas não queria chegar atrasado ao Natal com a família por isso seguiu o seu caminho por terra e a pé.
Na antevéspera de Natal chegou a uma povoação que ficava perto da sua floresta encontrou um amigo que lhe deu um cavalo para continuar a sua viagem e para passar lá a noite.
No dia Seguinte (dia 24) começou logo a sua viagem. Tentava localizar-se na floresta mas não conseguia por os caminhos estavam cobertos pela neve.
No dia de Natal ela seguira o seu caminho mas assustado por causa dos lobos esfomeados mas pensara…é noite de Natal os lobos não atacam.
Passado algum tempo começou a ouvir os sons melhor como ramos e os próprios passos.
Dirigiu se para casa todo feliz para voltar a reencontrar-se com a família e foi guiado por estrelas de enfeito. E Voltou a ser um Natal feliz e normal ao lado de quem mais ama.

Luís Patrício disse...

O Cavaleiro da Dinamarca(resumo)

No Norte da Europa, na Dinamarca vivia um cavaleiro e a sua familia numa floresta onde os Invernos eram rigorosos e longos.Na frente da sua casa havia um pinheiro que era o maior da floresta.A maior festa do ano era o Inverno de Natal.Nessa noite juntavam-se a familia, amigos e parentes.Até que certo Natal aconteceu uma coisa inesperada, o cavaleiro anuncio que iria passar o proxima Natal na gruta onde cristo nasceu.Na Primavera o cavaleiro partiu até a cidade mais proxima Porto de mar, depois de chegar lá ele ouve as 12 badaladas e rezou e reviveu toda a historia de Jesus.Em fins de Fevereiro despediu-se de jerusalem na companhia de outros peregrinos partiu para o porto de Jafa.Na viagemtravou conhecimentos com um mercador de Veneza.Durante a viagem tiveram de enfrentar grandes tempestades, entao foram parar em Ravena.Em Ravena o mercador convidou-o a ir até á sua cidade Veneza e o cavaleiro aceitou.Em Veneza ele ficou encantado com tanto arquitectura, pintura e beleza.O mercador alojou--o no seu palacioe contou-lhe a historia de uma jovem menina que vivia prisioneira num castelo.Terminada a historia o mercador convidou o cavaleiro a ficar em Veneza mas ele nao aceitou porque tinha prometido á mulher regressar no proximo Natal.Em Abril o cavaleirodirigiu-se á casa do banqueiroque era amigo do Venezianoque este lhe tinha dado uma carta de recomendaçao, o banqueirorecebe-o e hospedo-o em sua casa.Aí reunido com os amigos discutiram a historia de Giotto, Cimabué e de Dante.O baqueiro convidou-o a ficar em florença mas ele nao aceitou orque queria estar em casa dentro de 3 meses, em caminho para o portode Génova adoeceu.Aí perdeu o barco e resolveu atravessar os alpes a cavaloaté que chegou a Flandresonde procurou o amigo do banqueiro.Este era um negociante que o acolheu em sua casa,onde lhe deu um bom jantar.O cavaleiro contou-lhe toda a sua aventuraaté ali chegar.O negociante disse que el ia conhecer um amigo que era capitão de um navio e sabia muitas aventuras.Passou o serao a contar as suas viagens por terras Africanas.No dia seguinte o cavaleiro queria seguir para a Dinamarca, mas o negociante avisou-o que o Inverno estava a chegar e ia tornar-se um pouco perigoso, convidou-o a ficar a trabalhar com ele.O cavaleiro tinha prometido estar o Natal junto da familia e lá partiu.Demorou longas semanas.
No dia 24 de Dezembro chegou á floresta e avistou a casa dos lenhadores que o receberam com grande alegria.Na floresta o cavaleiro perdeu-se e rezou, até que avistou uma fogueira ao longe, caminhando sempre na mesma direcçãochegou a sua casa, onde foi recebido com muita alegria.E está explicada a razao porque no Natal se iluminam os pinheiros.

Ricardo Patricio 7º5ªNº19

Ana Rita disse...

Resumo da obra de Sophia de Mello Breyner Andreson: O Cavaleiro da Dinamarca

Era uma vez um Cavaleiro, que vivia na Dinamarca, no meio de uma floresta. Esta floresta era gelada, ventosa e estava coberta de neve.
Certo Natal, o Cavaleiro, terminada a ceia, anunciou à sua família, amigos e criados que no próximo Natal seria diferente, pois iria em peregrinação à Terra Santa onde passaria o seu Natal. Mas prometeu que dois anos mais tarde estaria de volta.
Quando o cavaleiro partiu para a Palestina, já era Primavera, mas chegou muito tempo antes do Natal ao seu destino. Chegado o dia de Natal, ao fim da tarde, o Cavaleiro dirigiu-se para a gruta de Belém, onde rezou toda a noite.
Passado o Natal, em fins de Fevereiro, o Cavaleiro partiu para Jafa. Consigo viajavam outros peregrinos, entre eles havia um mercador de Veneza, com quem o cavaleiro travou grande amizade.
A viagem de regresso a casa do cavaleiro não foi fácil, pois teve enfrentar muitos perigos! Esta viagem também teve os seus bons momentos, tais como: Veneza (a cidade construída sobre a água), que o fascinou por completo; Florença, que, tal como Veneza, o deixou boquiaberto; Antuérpia (com comida deliciosa), cidade onde o cavaleiro se espantou com o paladar da comida. Por cada cidade que ele passava havia sempre propostas de associação, mas o cavaleiro nunca aceitou nenhuma, pois pensou na sua família.
Na antevéspera de Natal, ao fim da tarde, o cavaleiro chegou a uma pequena povoação que ficava a poucos quilómetros da sua floresta. Nessa povoação viviam os seus amigos, que o receberam com grande alegria! No dia seguinte, seguiu viagem, pensando que antes da meia-noite estaria em casa, mas, como o frio era tanto, não conseguiu seguir viagem. Foi então que viu uma pequena claridade, que aumentava à mediada que o cavaleiro se aproximava, até que se apercebeu que era a sua casa, onde a asua família o esperava!

Ana Rita 7º5ª Nº1